Budapeste – O Bastião dos Pescadores, a Igreja Mathias e a Ponte das Correntes

A  primeira dúvida que me vem à cabeça quando planejo uma viagem é quanto tempo ficar no destino. E é sempre uma dúvida cruel, invariavelmente seguida da vontade de ficar mais. Esse sentimento apareceu assim que cheguei à Praça da Santíssima Trindade e vi a  Igreja Mathias (Mátyás templom) e Bastião dos Pescadores (Halászbástya) que também ficam na colina do Castelo de Buda.

Igreja de São Mathias - Mátyás templom

Igreja Mathias – Mátyás templom (réplica)

Igreja Mathias

A primeira característica que me chamou atenção foi o telhado colorido, que naquele dia chuvoso, contrastava com céu ainda meio cinzento e indeciso. Isso sem contar a data de sua construção que começou em 1255 (eu tenho uma estranha e insana atração pela Idade Média!).

Igreja Mathias - Budapeste

Igreja Mathias – Budapeste

Bastião dos Pescadores

Mas o “grand moment” foi chegar ao Bastião dos Pescadores (Halászbástya).  Bem mais novo que sua vizinha, foi construído por volta de 1895 e   esse nome veio da associação de pescadores que defendia esse trecho das muralhas da então cidade medieval.

Bastião dos Pescadores

Bastião dos Pescadores – Budapeste

É uma espécie de terraço debruçado na margem do Danúbio. No centro, a estátua de Santo Estevão, fundador da nação. Por entre os arcos, a vista é deslumbrante!

Bastião dos Pescadores - Budapeste

Bastião dos Pescadores – Budapeste

Lá na margem Peste do rio, vemos o Parlamento Húngaro. E eu sempre tenho aquela sensação: Uau! EU estou aqui!

Interior fisher's

Neste exato momento eu queria ficar alí até o sol colorir os telhados e o rio.  Cheguei “pedir” mentalmente que algum raio solar  rompesse as nuvens e…

Bastião dos Pescadores - Budapeste

Bastião dos Pescadores – Budapeste

A minha sorte de viajante enfim deu as caras e o céu foi ficando azul. A certeza que precisaria de mais tempo na cidade foi aumentando.

Panorâmica

Bastião lado vista

Daqui a gente tem uma mais uma vista panorâmica de da cidade – que é lindaaaa!

Parlamento vista Bastião

Neste ponto é quase impossível não encontrar outras pessoas tão maravilhadas quanto eu com o visual à nossa frente. E como eu sempre digo, quem viaja sozinha, acaba acompanhada. Um grupo de espanhóis e brasileiros se aproximou. E não é que um deles me mandou essa foto como havia prometido?

Bastião dos Pescadores - Budapeste

Bastião dos Pescadores – Budapeste

Depois de muito visual, daqui do Bastião é possível descer pelas escadarias e voltar à Ponte das Correntes, que definitivamente vale ser atravessada a pé.

Bastião dos Pescadores - Budapeste

Bastião dos Pescadores – Budapeste

Esse dia em Budapeste esteve totalmente bipolar. De repente, um lindo dia se abriu e meu passeio pela ponte foi premiado!

Pte das Correntes- Budapeste

Pte das Correntes- Budapeste

Essa foi a primeira ponte a fazer a ligação entre Buda e Peste, inaugurada em 1849.

Pte Correntes - passeio

Como as outras pontes de Budapeste, há um espaço para pedestres dos dois lados da ponte. E é lindo atravessar o rio a pé com um dia desses, mesmo que o vento atravesse seus neurônios. A vista é espetacular. E o Parlamento ali pertinho!

Parlamento Húngaro (visto da Ponte das Correntes)

Parlamento Húngaro (visto da Ponte das Correntes)

E comecei a entender na prática, porque esse rio inspirou Johann Strauss a compor Danúbio Azul. Ainda teria bastante tempo na cidade, mas esse passeio serviu para decidir que voltaria à Budapeste na primeira oportunidade, se possível na primavera.

Mais sobre Budapeste aqui.

Está procurando dica de hotel em Budapeste? eu fiquei no Hotel Boutique Zara, e gostei muito do atendimento e do quarto em que fiquei. Tem mais opções aqui: Hotéis em Budapeste

Siga o Mala de Rodinha e Nécessaire no Twitter @maladerodinha

Curta a nossa Fanpage no Facebook: www.facebook.com/MaladeRodinhaeNecessaire

E para ver nossas fotos no Instagram: instagram.com/celinamartins

Sou professora por formação, artista plástica, designer e blogueira, mas gosto mesmo é de ser nômade. Moro seis meses na Europa quando aproveito para viajar, e seis meses no Brasil, praticamente na ponte entre o Rio de Janeiro e Niterói. Eu moro onde estão meus sapatos.
Estou no Google + – +
Celina Martins
-

written by

Sou professora por formação, artista plástica, designer e blogueira, mas gosto mesmo é de ser nômade. Moro seis meses na Europa quando aproveito para viajar, e seis meses no Brasil, praticamente na ponte entre o Rio de Janeiro e Niterói. Eu moro onde estão meus sapatos. Estou no Google + - + Celina Martins -

One Response to "Budapeste – O Bastião dos Pescadores, a Igreja Mathias e a Ponte das Correntes"

  1. Eulalia says:

    Desses eu só vi a Igreja… ter só dois dias numa cidade é mesmo um crime…
    Post simplesmente maravilhoso!!! Amei!!!
    E você está linda na foto!!!

    Responder

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>