De volta à Paris – Uma visita à Chartres

A visita de apenas dois dias à Montpellier nos deu aquela vontade de ficar muito mais. Mas era hora de pegar mais um trem, desta vez um TGV (Train à Grande Vitesse) para continuar a viagem.

Gare de Lyon - Paris

Gare de Lyon – Paris

Destino? Minha querida Paris, onde teríamos um roteiro cheio de igrejas, catedrais e basílicas, que nos fariam passear por séculos passados. Começamos por Chartres, a 80 km a sudoeste de Paris.

De Paris à Chartres

Há um trem por hora saindo da Gare Montparnasse, a mesma da Tour Montparnasse. Em pouco menos de uma hora, estamos desembarcando na Gare de Chartres. Dá para ir a pé e é só seguir as placas. Logo a gente avista as torres da enorme catedral.

Chegando à Chartres

Chegando à Chartres

A Basílica Catedral de Nossa Senhora de Chartres é um dos melhores exemplos da arquitetura medieval francesa, que eu tanto estudei para o exame de Nancy da Aliança Francesa. E claro, conhecê-la e encontrar com meus próprios olhos, todos os detalhes de uma catedral gótica, foi emocionante.

Torres de Chartres

Construída entre 1194 e 1205, depois da primeira igreja gótica da França, a Basilique de St Denis, todas as técnicas de construção foram aperfeiçoadas e está, até os dias de hoje, perfeitamente preservada.

Portal de Chartres

A história da construção chega a ser pitoresca. Imaginem-se no século XIII… A Basílica de St Denis, alí pertinho, ostentava muitas novidades da arquitetura: altura, vitrais belíssimos, arcos ogivais, arcobotantes, contrafortes (que ajudavam a distribuir o peso), gárgulas e esculturas maravilhosas.

Elementos de uma catedral gótica

fonte: Wikipédia

Claro que o bispo de Chartres queria uma igual ou ainda mais bela. Então… um <incêndio> tomou conta de algumas partes da velha igreja. Igreja essa que abrigava uma relíquia: Sancta Camisia, a túnica sagrada que Maria usava quando deu à luz a Jesus. Salva por  uma artimanha do bispo, a relíquia fez o povo da cidade ajudar a construir a obra para dar um novo lar para a túnica de Maria.

Portal Chartres

E nessa manhã de fim de outono, não havia a massa de turistas que a igreja atrai. Tivemos toda a calma do mundo para admirar cada detalhe. E são muitos! A começar pela fachada principal e o conjunto de esculturas.

Chartres interior

Se a sensação pretendida por essas construções é fazer a gente olhar para o alto e se sentir pequeninha, devo dizer que obtiveram sucesso. A luz filtrada pelos vitrais é mágica!

Interior da Catedral de Chartres

Tanto esculturas quanto vitrais,  os elementos visuais faziam o papel de livros, uma vez que a maioria da população não sabia ler.

Rosácea Chartres

Nos vitrais, a Bíblia, histórias dos santos… Assim como em Rosslyn Chapel, na Escócia, cada detalhe conta/ensina algo. Obviamente, Chartres lucra até hoje, assim como na Idade Média, com a beleza e importância histórica dessa catedral.

Catedral de Chartres - interior

Catedral de Chartres – interior

É lindíssima! E totalmente impactante. Já conheci várias catedrais e basílicas góticas. Uma que impressionou quase tanto, foi a Abatiale de Saint Ouen, em Rouen. Mas esse de Chartres, tem todo um contexto que… emociona.

Catedral de Chartres interior

Labirinto de Chartres

Labirinto de Chartres

Aqui, o famoso labirinto de Chartres, com 261 metros, parcialmente coberto por cadeiras. Descoberto fica assim, como nessa foto que tirei de outra foto exposta na igreja.

Foto do Labirinto de Chartres

Foto do Labirinto de Chartres

A tradição é deixá-lo livre nas sextas-feiras durante o verão. Diz a lenda, que era percorrido de joelhos por padres e peregrinos.

Arcos Butantes de Chartres

Arcobotantes e contrafortes de Chartres

A Basílica Catedral tem três fachadas. Uma conquista da nova arquitetura, os arcobotantes, que permitiram construções cada vez mais altas, com vitrais maiores, são bem visíveis aqui.

Fahada lateral de Chartres

Fahada lateral de Chartres

A fachada lateral é até mais impressionante que a principal. E eu diria, um tantinho assustadora…

A visita à Catedral de Chartres foi mesmo um dessses momentos em que tudo o que você já leu, estudou ou pesquisou, se materializa na sua frente.

Notre Dame de Chartres vista

Ainda demos uma voltinha pela centro da cidade e voltamos para pegar o trem de volta à Paris. No dia seguinte seria a vez de Saint-Chapelle, que é igualmente imperdível!

Para ler os post sobre a viagem de trem pela França, aqui.

Siga o Mala de Rodinha e Nécessaire no Twitter @maladerodinha

Curta a nossa Fanpage no Facebook: www.facebook.com/MaladeRodinhaeNecessaire

Para ver nossas fotos no Instagram: instagram.com/celinamartins

E veja nossa página no Google+

Sou professora por formação, artista plástica, designer e blogueira, mas gosto mesmo é de ser nômade. Moro seis meses na Europa quando aproveito para viajar, e seis meses no Brasil, praticamente na ponte entre o Rio de Janeiro e Niterói. Eu moro onde estão meus sapatos.
Estou no Google + – +
Celina Martins
-
Gostou? Compartilhe!Share on FacebookShare on Google+Pin on PinterestShare on RedditTweet about this on TwitterEmail this to someone

written by

Sou professora por formação, artista plástica, designer e blogueira, mas gosto mesmo é de ser nômade. Moro seis meses na Europa quando aproveito para viajar, e seis meses no Brasil, praticamente na ponte entre o Rio de Janeiro e Niterói. Eu moro onde estão meus sapatos. Estou no Google + - + Celina Martins -
Related Posts

2 Responses to "De volta à Paris – Uma visita à Chartres"

  1. Parricia says:

    Foi muuuiiittoooo boooaaaa essa viagem!

    Responder
  2. Parricia says:

    Foi muito oa essa viagem!

    Responder

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>