Liberdade – um passeio ao bairro Japonês

Como eu disse, minha ida a São Paulo não foi a turismo. Uma pena, né? Mas, no último dia, consegui um tempinho para ir à Liberdade, um pedacinho do Japão em São Paulo.

Pça da LIberdade - SP

Pça da Liberdade – SP

Meu ônibus de volta saia às 16:00 hrs, mas o check out do The Hostel Paulista seria às 11:00. Como era sábado, lembrei que era dia da Feira da Liberdade. Imediatamente lembrei das delícias que eu já tinha degustado nas inúmeras vezes que visitei o bairro, há anos atrás. Beneficiada pela localização do hostel, pertinho de uma estação de metrô na Av Paulista, deixei as malas na recepção e lá fui eu: Linha verde + Linha Azul do metrô e em 20 min estava lá.

Barracas - Feira da Liberdade

Barracas – Feira da Liberdade – Pça da Liberdade

Para falar a verdade, a feira está um pouco descaracterizada. Há várias barracas com produtos que não tem conexão com a cultura japonesa. Ainda assim, vale a pena uma visita. As barracas de tempurá são uma tentação!

Barraca de Tempurá - Liberdade

Barraca de Tempurá – Liberdade

Tempurás - Feira da Liberdade - São Paulo

Tempurás – Feira da Liberdade – São Paulo

Com cinco “dilmas”  você pode degustar um delicioso mega tempura! Deliciosas calorias nipônicas!

Tempurá de Camarão - Feira da Liberdade

Tempurá de Camarão – Feira da Liberdade

Mas… nem só de feira vive a Liberdade. E mesmo que não seja sábado, uma visita ao bairro não vai te decepcionar. As ruas são inconfundíveis com seus postes e lanternas, sinais de trânsito e letreiros.

Rua Galvão Bueno - Liberdade

Rua Galvão Bueno – Liberdade

Para os apaixonados pela culinária oriental, passear pelo bairro é uma tentação atrás da outra. Na Rua Galvão Bueno, estão vários mercados que abastecem os moradores do bairro, restaurantes e turistas como eu.

Produtos Japoneses - Casa Bueno - Liberdade

Produtos Japoneses – Casa Bueno – Liberdade

No geral, todos os artigos são bem mais baratos que os que a gente encontra (quando encontra) em outros lugares. Fora a variedade que deixa a gente zonza na hora de escolher.

Estante de Sakês

Estante de Sakês

Para mim, a louca do sushi,  que adora cozinhar, é a visão do paraíso!

Eu simplesmente amo comida japonesa. E ando tentando fazer sushi em casa. Daí, entrar nesses mercados, e encontrar todo tipo de utensílio e ingredientes para ajudar nessa tarefa, foi um verdadeiro exercício budista de desapego.

A rua é recheada de lojas, mercados e restaurantes. Nos mercados e mercearias, ainda é possível encontrar as “marmitas” prontas.

Sushis-Liberdade

Sushis-Liberdade

Não resisti e fiz um farnel para minha viagem de volta. Comprei uma lancheira térmica numa das lojas de produtos importados para manter a temperatura e na parada que o ônibus faz no meio do trajeto, fiz uma bela refeição, toda trabalhada no hashi (aqueles pauzinhos). :)

Caminhando mais um pouco,  pare no Viaduto Cidade de Ozaka, para uma vista bem legal da cidade.

Viaduto Cidade de Osaka

Viaduto Cidade de Osaka

Viaduto Cidade de Osaka

Viaduto Cidade de Osaka

O que não falta é opção para uma refeição. Logo depois do viaduto, há um jardim japonês e ao fundo algumas guloseimas para serem saboreadas alí mesmo.

Jardim japonês - Liberdade

Jardim japonês – Liberdade

Pastéis, yakisobas e tempurás. É só escolher.

Jardim Japonês - Liberdade

Jardim Japonês – Liberdade

Para comer na rua mesmo, uma tempurá gigante, feito na hora:

Mercearia - Tempurá - Liberdade

Mercearia – Tempurá – Liberdade

Para quem quer uma refeição mais formal, há vários restaurantes. Eu escolhi o Banri, na própria Galvão Bueno, 160.

Banri - Restaurante Japonês

Banri – Restaurante Japonês

O restaurante é uma mistura de mercearia, temakeria e no andar superior, o salão do restaurante.

Banri - Salão

Banri – Salão

Escolhi o  Bentô. Você monta a combinação que quiser entre sushis/sashimis e/ou comida chinesa.

Bentô  - Banri - Liberdade SP

Bentô – Banri – Liberdade SP

Ali pertinho o New Mimatsu:

New Mimatsu - Liberdade

New Mimatsu – Liberdade

E mais para frente o famoso Nandemoyá, famoso pelo enorme salão, preço mais em conta e por ser a quilo. Fica na Av. Americo de Campos, 9.

No bairro ainda há inúmeras lojas de cosméticos e produtos importados, e quinquilharias em geral. Eu adoro A Liberdade!

Siga o Mala de Rodinha e Nécessaire no Twitter @maladerodinha

Curta a nossa Fanpage no Facebookwww.facebook.com/MaladeRodinhaeNecessaire

E para ver nossas fotos no Instagram: instagram.com/celinamartins

E veja nossa página no Google+

 

Sou professora por formação, artista plástica, designer e blogueira, mas gosto mesmo é de ser nômade. Moro seis meses na Europa quando aproveito para viajar, e seis meses no Brasil, praticamente na ponte entre o Rio de Janeiro e Niterói. Eu moro onde estão meus sapatos.
Estou no Google + – +
Celina Martins
-
Gostou? Compartilhe!Share on FacebookShare on Google+Pin on PinterestShare on RedditTweet about this on TwitterEmail this to someone

written by

Sou professora por formação, artista plástica, designer e blogueira, mas gosto mesmo é de ser nômade. Moro seis meses na Europa quando aproveito para viajar, e seis meses no Brasil, praticamente na ponte entre o Rio de Janeiro e Niterói. Eu moro onde estão meus sapatos. Estou no Google + - + Celina Martins -

2 Responses to "Liberdade – um passeio ao bairro Japonês"

  1. Eulalia Fernandes says:

    Sempre que vou a Sampa e consigo um tempinho, dou uma passada por lá, só para curtir… é muito interessante mesmo!
    Adorei a postagem, querida!

    Responder
  2. PATRICIA MARIA COSTA BLOWER says:

    Maravilha de post. Com o dolar nas alturas, nada como boas dicas aqui pertinho e em reais. Continue, que quero seguir tudo.

    Responder

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>